Publicado em 02.01.2017

O coração precisa de energia

Seus batimentos são contínuos. Em repouso, de 60 a 100 vezes por minuto, de maneira constante e regular (esse número de batidas por minuto recebe o nome de frequência cardíaca). Quando isso não acontece, ocorre o que chamamos de arritmias que são indicativos de que existe algum problema nesse órgão vital.

Ele é tão importante que quando cessa seus batimentos, a existência de uma pessoa chega ao fim. Assemelhando-se a um punho fechado e formado por músculos que se contraem e relaxam, de maneira involuntária (isto é, sem depender de nenhuma decisão nossa), tem a nobre função de levar sangue rico em oxigênio para todas as células do nosso organismo. O coração é o responsável pela distribuição dos nutrientes e outras substâncias necessárias para o trabalho dessa fantástica máquina, chamada corpo humano.

É por meio do que se denomina Ciclo Cardíaco, caracterizado pelo relaxamento (diástole) e pela contração (sístole) que isso se dá. Na diástole, o coração recebe sangue e na sístole o distribui. A pequena circulação feita entre pulmão e coração faz com que o sangue com grandes quantidades de gás carbônico se oxigene.

Para fazer esse belo trabalho de manutenção da vida, o coração também consome oxigênio. Aliás, 10% de toda a energia consumida pelo nosso organismo vai para ele. Fornecer-lhe nutrição que otimize e colabore para o desempenho das suas funções é garantia de saúde para todo o nosso corpo. A seguir, apresentamos três nutrientes que podem ajudá-lo a ser mais saudável a vida toda.

1) L-Carnitina colabora no metabolismo energético do coração. Como o músculo cardíaco utiliza ácidos graxos, ela  transporta as moléculas de gordura até a mitocôndria, onde serão transformadas em energia. Sem L-Carnitina, essas substâncias poderiam retornar para o sangue, aumentando os níveis de triglicerídeos. É responsável também para retirar as substâncias tóxicas das mitocôndrias, geradas por esse processo. Estudos comprovam que a L-Carnitina ajuda a diminuir danos cardíacos em pessoas com insuficiência congestiva e as probabilidades de novo ataque de coração a quem já foi acometido por esse mal.

2) Magnésio é considerado o “mineral da vida” e está associado a mais de 350 reações bioquímicas do organismo. Além de colaborar para a correta absorção do cálcio (evitando que se depositem nas artérias) e na produção de ATP, ajuda a estabilizar as membranas celulares do músculo cardíaco e auxilia na normalização dos impulsos elétricos (evitando as arritmias).

3) Coenzima Q10 ajuda na produção de energia nas mitocôndrias, melhorando a função do músculo cardíaco, fazendo-o trabalhar com menor esforço e contribuindo na prevenção de doenças do coração.

Ao associá-los, estes podem ser os benefícios:

  • Fortalecimento e  fornecimento de energia para o músculo cardíaco.

  • Prevenção de arritmias e no equilíbrio dos batimentos do coração.

  • Participação no metabolismo das gorduras, levando-as para o interior das mitocôndrias para serem utilizadas como geradoras de energia.

  • Contribuição no combate aos radicais livres e no fortalecimento do sistema imunológico.

  • Colaboração no tratamento e prevenção de doenças cardiovasculares, além de ajudar na proteção do coração.

  • Atuação como auxiliar no controle do colesterol e dos triglicerídeos.