Publicado em 30.09.2016

Magnésio, Saúde Cardiovascular e Cerebral

Quando nos é feita a pergunta: qual nutriente não pode faltar diariamente na alimentação do ser humano? Sem dúvida alguma, respondemos que é o magnésio. O porquê disso é muito simples: todas as células do nosso organismo necessitam desse mineral. Segundo pesquisas, participa de mais de 350 reações bioquímicas. Inclusive outros nutrientes para serem correta e eficazmente absorvidos precisam da ação do magnésio. Não é sem razão que é denominado "mineral da vida". 

Ou seja, não dá para ficar sem ele. Auxilia nas funções musculares, síntese de proteínas, produção e transporte de energia para as células; no fortalecimento ósseo, na saúde cardiovascular, colabora para retardar o envelhecimento, dentre outros benefícios. 

A maior autoridade do mundo em magnésio é um brasileiro. Trata-se do Dr. Arnoldo Velloso da Costa, autor do livro "Magnésio - o que ele pode fazer por você?". Quando relaciona magnésio e saúde cardiovascular. Esse conceituado pesquisador diz o seguinte:

"O déficit de magnésio é sério fator de risco para a saúde e também denominador comum da atual epidemia de doenças cardiovasculares, cujo tratamento tem representado enorme investimento nos programas de saúde e nos tratamentos de revascularização cardíaca."   

Estudos apontam que a ingestão desse mineral ajuda a  regular da pressão arterial, no controle do colesterol e no funcionamento do músculo cardíaco, prevenindo a ocorrência de problemas cardiovasculares no ser humano.

O magnésio tem também uma atuação muito importante para a saúde cerebral, melhorando a vitalidade, o raciocínio, as funções cognitivas. O mineral está associado também à diminuição dos efeitos do estresse do dia a dia (irritabilidade, nervosismo, agitação, etc). Por aumentar a plasticidade e a densidade de sinapses no hipocampo - área do cérebro responsável pela memória e o aprendizado - contribui para que a memória seja potencializada e preservada. Quer ter excelente memória? Magnésio é a solução.

 Além disso, colabora para a qualidade do sono.  De acordo com o Dr. Arnoldo Velloso:

"O magnésio ativa a síntese da melatonina, hormônio que tem relação com a fisiologia do sono e dotado de ação antioxidante. Curiosamente, por falhas de absorção intestinal e excreção urinária, há declínio do magnésio à medida que progride o envelhecimento, fase da vida em que há queda de melatonina."  

Apenas para confirmar os enormes benefícios do magnésio, a melatonina (chamada de "hormônio da juventude"), além do exposto pelo Dr. Arnoldo Velloso, ajuda no fortalecimento do sistema imunológico, nos processos de emagrecimento e na prevenção das alterações do estado de humor. Sem falar que nos ajuda a nos mantermos jovens por mais tempo, não é mesmo? Afinal, é um antioxidante.   

Infelizmente, mais de 80% da população tem deficiência desse mineral e, consequentemente, a saúde prejudicada por descuidarem da ingestão do magnésio, por meio dos alimentos ou suplementação nutricional. Outro agravante é que até mesmo as situações de estresse do dia a dia (trânsito, barulhos, tensões,etc) fazem-no ser eliminado do organismo. Ou seja, a reposição tem que ser constante.        

E no seu organismo: como estão os níveis do "mineral da vida"?   É melhor não vacilar, não é mesmo?